top of page
Buscar
  • Foto do escritorVital Psilo

Os dilemas éticos do Consentimento Informado na Psicoterapia Assistida Por Psicodélicos


Uma renascença psicodélica está ocorrendo atualmente na saúde mental. Há um número crescente de ensaios clínicos e, em alguns países, os psiquiatras já possuem uma permissão especial para usar psicodélicos sob certas condições. Entretanto, segundo o Dr. Daniel Villiger do Instituto de Filosofia da Universidade de Zurique, esses avanços devem ser acompanhados por um questionamento ético.


Dr. Villiger argumenta que uma questão ética urgente envolve o termo de consentimento informado para a psicoterapia assistida por psicodélicos (PAP). Dada a natureza transformadora do tratamento, os pacientes podem não ser capazes de entender o que realmente significa submeter-se a essa abordagem, e se ela se alinha aos seus valores. Consequentemente, o termo de consentimento deve ser mais compreensível para a PAP do que qualquer outra intervenção medicamentosa.


Em seu artigo publicado na revista científica “Neuroethics”, o Dr. Villiger analisou essas questões e destacou que, muitas vezes, os pacientes já possuem conhecimento suficiente sobre seus valores e preferências para dar consentimento à PAP. Quando os pacientes sofrem profundamente devido à sua condição física/mental e precisam de uma experiência transformadora para escapar do seu sofrimento, eles podem escolher de forma racional um tratamento com um perfil risco-benefício favorável, e que se espera proporcionar tal transformação. Portanto, eles também estão em condições de dar consentimento informado.


Referência

Villiger D. Giving Consent to the Ineffable. Neuroethics. 2024;17(1):11. doi: 10.1007/s12152-024-09545-6. Epub 2024 Feb 15. PMID: 38371714; PMCID: PMC10869409.


Disponível na íntegra em:

9 visualizações0 comentário

Comments


Post: Blog2_Post
bottom of page