top of page
Buscar
  • Foto do escritorVital Psilo

Psilocibina: perfil farmacológico in vitro e o mecanismo de ação agudo nos roedores

Atualizado: 27 de dez. de 2022


Pesquisadores espanhóis analisaram o perfil farmacológico da psilocibina e seu metabólito ativo – psilocina. Para isto, foram utilizados camundongos e amostras cerebrais (post mortem) de humanos e roedores, além de culturas de células. Os cientistas investigaram a ligação da psilocina nos receptores serotoninérgicos 5-HT e como ela se comporta diante de compostos antagonistas. Na farmacologia, o antagonista é uma substância que se liga ao receptor de uma célula sem ativá-la, bloqueando sua ativação por um composto agonista. Ativar (agonismo) ou bloquear (antagonismo) um determinado receptor por exemplo, produz respostas diferentes no organismo.

Os camundongos que receberam psilocibina foram analisados para mensurar a resposta de contração da cabeça (head-twich response – HTR) e a temperatura corporal. A HTR é o movimento rápido da cabeça que ocorre em resposta à ativação dos receptores de serotonina 5-HT2A. É utilizado para caracterizar os efeitos alucinógenos em modelos animais. Existe uma correlação entre a potência da HTR induzida por psicodélicos em roedores e seus efeitos comportamentais nos humanos.

As análises mostraram que a psilocina tem afinidade por receptores 5-HT2A, 5-HT2C e 5-HT1A no cérebro de humanos e camundongos. O resultado da HTR revelou que a psilocibina induziu uma resposta dose-dependente nos roedores, que foi completamente suprimida por um antagonista do receptor 5-HT2A, sendo que doses mais altas de psilocibina (3 mg/kg) levaram à uma HTR mais baixa. Porém, o antagonista do receptor 5-HT2C aumentou a HTR gerada pela psilocibina (3 mg/kg). Também foi observado que uma dose baixa de psilocibina (0,125 mg/kg) aumentou significativamente a temperatura corporal (0,67 ± 0,15 °C), enquanto que doses superiores a 1 mg/kg diminuíram de forma significativa (-1,31 ± 0,16 °C). Entretanto, os camundongos que receberam um pré-tratamento com um antagonista do receptor 5-HT1A, tiveram uma diminuição da temperatura corporal após a administração de psilocibina (1 mg/kg), causando hipertermia (0,94 ± 0,26 °C).

Os autores deste estudo concluíram que a psilocina apresenta um perfil farmacológico similar em cérebros humanos e de roedores, e modula a temperatura corporal através de mecanismos dependentes. Isto pode ser útil para compreender o mecanismo de ação e os efeitos colaterais desse psicodélico.

Referência

Erkizia-Santamaría I, Alles-Pascual R, Horrillo I, Meana JJ, Ortega JE. Serotonin 5-HT2A, 5-HT2c and 5-HT1A receptor involvement in the acute effects of psilocybin in mice. In vitro pharmacological profile and modulation of thermoregulation and head-twich response. Biomed Pharmacother. 2022 Aug 30;154:113612. doi: 10.1016/j.biopha.2022.113612.

23 visualizações0 comentário

Comments


Post: Blog2_Post
bottom of page